Dicotomia x Tricotomia

segunda-feira, 9 de abril de 2018


   Um dos assuntos que geram mais confusão nas igrejas cristãs, católicas ou protestantes, é a questão da composição do homem. Afinal, o homem é tricotômico (corpo, alma e espírito) ou dicotômico (corpo e espírito)? Para entendermos essas diferenças a luz da bíblia, devemos entender o que seriam cada uma dessas três partes:

   Corpo: É a parte material e visível do ser humano. Foi essa parte que surgiu através do pó da terra, na criação do homem no Éden. Essa parte é a mais frágil, pois sofre a ação do tempo, e de todos os fatores terrenos, além de ser mortal. Quando o corpo morre, ele está voltando a ser o que era no princípio: "E o pó volte à terra, como o era..." (Eclesiastes 12.7a).

   Espírito: É a parte invisível do homem e é a que, junto com o intelecto (faculdade do corpo) se comunica com Deus. Essa parte é imortal e não sofre a ação dos fatores terrenos, como o tempo, a fome, a sede... O corpo (intelecto) e o espírito devem estar em harmonia para adorar a Deus através do “culto racional” (Romanos 12:1). Os cristãos que conseguem adorar a Deus nessa harmonia (intelecto + espírito) são os que adoram a Deus "em espírito e em verdade" (Jo 4:20- 24). Quando o corpo morre, o espírito volta a Deus (ou para ser recompensado ou para ser julgado): "E o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu." (Ec 12:7).

   Alma: Essa é a parte que muitos acabam por não entender, ou não sabem explicar bem. Para os tricotômicos, alma é a parte responsável pelo intelecto e pelas emoções humanas. Essa afirmação não é fiel a origem dessa palavra e nem ao que conhecemos sobre o ser humano. É claro e evidente que o centro das emoções humanas e do intelecto é o cérebro, ou seja, é ele quem comanda nossas ações humanas. Assim, não existe algo que comande o espírito e o corpo ao mesmo tempo. Por isso a Bíblia diz que "o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne (desejos do corpo) é fraca. (Marcos 14:38b). E o apóstolo Paulo afirma: "Porque não faço o bem que quero (presente no espírito), mas o mal que não quero (presente no corpo) esse faço". (Romanos 7:19). O espírito dos cristãos sempre gostará de fazer o bem, mas o corpo, caído após o pecado de Adão, sempre gostará de fazer o mal. Note que nesses dois versículos a ideia de alma não aparece.

A Origem da Alma:

   A palavra Alma vem do latim "anǐma", que teve a sua origem no grego "psiquê" e no hebraico "nephesh". Tanto psiquê, quanto nephesh, representam a vida que possuímos, e não uma parte de nós. Nossa vida não é uma parte de nós, mas somos nós por completo.

  Muitos afirmam que a alma é a fonte de todos os sentimentos, mas a fonte de todos os sentimentos é o cérebro. Sendo assim, minha alma é meu cérebro?

   Paulo diz haver uma luta entre a carne e o espírito, mas nada falou sobre um terceiro elemento (a alma). Os escritores bíblicos entendiam alma como vida, e não como uma parte a mais em nós. Dizer que alma é a fonte dos sentimentos é apenas forma poética. É o mesmo que dizer que o coração é a fonte dos sentimentos, e sabemos que o coração tem outras funções bem diferentes que essa.

   Os antigos diziam: "O Senhor sonda os meus rins"
   Hoje dizemos: "O Senhor sonda o meu coração".
   E o sentido real é: "O Senhor sonda o meu interior".

   Alma é a palavra que, no sentido real, significa "vida". Vemos isso claramente na frase popular: "A propaganda é a alma do negócio". A frase não significa que a propaganda é uma parte diferente dentro do negócio, mas sim que é a "vida" do negócio.

   “Como o corpo sem o espírito está morto, assim a fé sem as obras é morta” (Tg 2:25).

   E onde está a alma? Edmond Jacob afirma, sobre a alma (nephesh): “Nephesh é o termo usual para a natureza total do homem, para o que ele é e não apenas pelo que tem... Por isso a melhor tradução em muitos casos é ‘pessoa’".

   Hebreus 4:12: "Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração."

   Esse versículo acima parece defender a tricotomia, mas é apenas uma forma figurada, poética até, de ensinar o poder da Palavra de Deus. Vemos isso, pois juntas e medulas não tem nada em comum. Não existe divisão de juntas e medulas, assim como divisão de alma e espírito. Ele usou uma figura de linguagem pra explicar sobre a Palavra. Talvez ele quisesse dizer: divisão da vida e do espírito, ou do espírito e da pessoa.

   Outro detalhe: coração não tem intenção nenhuma, e nem pensa, pois isso são funções do cérebro, Paulo estava usando linguagem figurada. 

   Como visto antes, a palavra "alma" é derivada das palavras: nephesh, psiqué, bios, zoe, e todas elas representa a vida. Delas se originaram palavras como: psicologia, biologia, psiquiatria... Tudo relacionado ao intelecto ou a vida. Na Bíblia, vemos essas palavras traduzidas, ora por alma, ora por outras palavras.

  Então, após essa análise, podemos afirmar que Alma é o nosso ser interior como pregam os tricotômicos? Só se ignorarmos o que a Bíblia afirma, e acreditar em pregações antropocêntricas.

   Alma, na Bíblia, é descrita como:
  
  Sangue (dos animais): um erro que leva as Testemunhas de Jeová a não doarem sangue.
  Espírito: as vezes alma e espírito são descritas como a mesma coisa.
  Rins: Achavam que os rins eram a parte mais íntima do homem.
  Coração: Como hoje ainda confundem.

  Mas em todas essas explicações, alma é uma representação do nosso interior, ou de nossa vida. Ela representa, mas NÃO É. NUNCA é descrita como uma parte separada em nós

   I Tessalonicenses 5: 23. Quando Paulo ora pelos tessalonicenses para que o "espírito, alma e corpo possam ser guardados", ele não está tentando separar o homem em três partes, mas estava falando da totalidade da santificação no homem. Devemos ser santos em nosso corpo, espírito e em nossa vida completa. Existem pessoas que procuram ser santas no corpo (vestimentas p.ex.), mas dão mal testemunho. Existem pessoas que são muito "espirituais" (fariseus modernos), mas dão mal testemunho também. Paulo diz que não basta ser santo na carne ou no espírito, mas em todo nosso ser, nossa vida (ou, nas palavras dele, nossa alma).

   Afirmar que ele dividiu o homem em três partes, é o mesmo que afirmar que Jesus dividiu o homem em QUATRO partes. Ele disse: “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de toda a tua força" (Lc 10.27). Será que somos coração, alma, entendimento e força?

  Esta passagem, portanto, também não proporciona qualquer base para a visão tricotômica da constituição do homem. Sendo assim, baseado na origem da palavra alma (grego, hebraico e latim), e no que a Bíblia afirma sobre o homem, posso dizer que o ser humano é corpo e espírito.

Diego Rodrigo Souza
Defesa da Fé/Creio No Amanhã

O Rei dos reis tatuado?

terça-feira, 10 de outubro de 2017


 O assunto "Jesus tatuado" não é novo, mas fiquei surpreso ao perceber que líderes importantes defendem essa ideia. O líder dessa vez é o Bispo Robson Rodovalho, dono/presidente/fundador da Comunidade Evangélica Sara Nossa Terra, uma divisão da antiga Comunidade Evangélica de Goiânia. 

 Em um vídeo publicado em sua conta no Youtube, onde fala sobre tatuagens, ele afirma que o próprio Jesus era tatuado, e cita a polêmica passagem de Apocalipse 19:16: "E no manto e na sua coxa tem escrito este nome: Rei dos reis, e Senhor dos senhores.".

 O intuito desse texto não é defender ou criticar a tatuagem em si, e sim fazer a exegese do versículo acima, e saber se, de fato, Jesus Cristo apareceu montado no cavalo branco com a tatuagem.

 Primeiro ponto é conhecer a visão que o Apóstolo João estava tendo. A história estava caminhando para o final, com a queda da grande prostituta, a Babilônia, que entendemos ser Roma. Após isso, João começa a ter outra visão:

 "E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco; e o que estava assentado sobre ele chama-se Fiel e Verdadeiro; e julga e peleja com justiça. E os seus olhos eram como chama de fogo; e sobre a sua cabeça havia muitos diademas; e tinha um nome escrito, que ninguém sabia senão ele mesmo. E estava vestido de veste tingida em sangue; e o nome pelo qual se chama é A Palavra de Deus. E seguiam-no os exércitos no céu em cavalos brancos, e vestidos de linho fino, branco e puro. E da sua boca saía uma aguda espada, para ferir com ela as nações; e ele as regerá com vara de ferro; e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor e da ira do Deus Todo-Poderoso. E no manto e na sua coxa tem escrito este nome: Rei dos reis, e Senhor dos senhores." Ap 19:11-16.


 Se o versículo se referisse a uma tatuagem, Jesus precisaria estar com a coxa nua, para que João pudesse enxergar a tal tatuagem, e não consigo pensar em Cristo montado num cavalo mostrando a perna pro apóstolo (talvez a igreja Contemporânea goste disso).

 Tudo pode ser questão de interpretação das traduções. João diz "manto e coxa" na maioria das traduções, em outras aparece "capa e coxa", e ainda existem outras duas que mostram "sobre a coxa" e não "na coxa". A tradução na Almeida Revisada Imprensa Bíblica, diz: "No manto, sobre a sua coxa tem escrito o nome: Rei dos reis e Senhor dos senhores". Já o texto na versão O Livro, diz: "No manto que trazia, e abaixo da cintura, tinha escrito este título: Rei dos reis e Senhor dos senhores".

 Essas duas versões mostram muito bem o sentido de "manto e coxa", e deixa claro que não era tatuagem, e sim um nome escrito nas vestes, na parte que cobre a coxa.

 Você pode fazer sua tatuagem se sua consciência estiver em paz sobre isso, mas usar Cristo como exemplo é heresia.

Diego Rodrigo Souza
Creio No Amanhã

Cuidado olhinho com o que vê

segunda-feira, 18 de setembro de 2017


"Cuidado olhinho o que vê" (Mateus 6:22,23)

- A candeia do corpo são os olhos.

 Jesus determina se temos luz ou trevas (bem ou mal), a partir de nossos olhos. Mas o que significa ter "o olho puro"?

 Os nossos olhos não agem de forma independente, ou seja, há uma série de mecanismos que funcionam para os olhos trabalharem. Nós olhamos e, a partir disto, agimos. São os olhos que dão início aos nossos pensamentos. 

 Por exemplo: Ao olharmos para um computador pensamos em tecnologia, redes sociais, trabalho... Ao olharmos para uma caneta pensamos em escrita, e assim por diante... Levando para uma complexidade um pouco maior: Ao olharmos para uma pessoa e suas vestes, automaticamente imaginamos seu gosto musical, estilo, etc. Imaginamos também o seu caráter e quase que instantaneamente formamos uma opinião ao seu respeito. 

 E qual problema disso? Bom, o problema ocorre quando estabelecemos essas suposições a respeito do outro como verdade absoluta e passamos a acreditar fielmente no fruto de nossa imaginação. 

 E é aí que entendemos o porquê que nossos olhos dizem tanto a nosso respeito. Se olharmos ao nosso redor e conseguirmos enxergar o que é bom, então a luz habita em nós. Mas se enxergamos apenas a maldade, automaticamente pensaremos, falaremos, esperaremos e faremos coisas ruins, o que significa que há trevas. 

 Ao analisar para onde temos olhado, avaliamos muito mais do que os nossos olhos. Conseguimos compreender o motivo de nossos pensamentos, fala e ações. 

 Ter "o olho puro" significa ter uma mente pura e saudável. Onde há luz, há paz e é aí aonde o Espírito Santo habita.

Marcela Cardoso
Creio No Amanhã